Com muito entusiasmo e mentalidade de crescimento, experiências do erro empoderam e desafios inspiram toda uma equipe

Você é daqueles que amam um bom desafio, enxergam o esforço como o caminho do sucesso, aprendem com as críticas e procuram se inspirar com o sucesso dos outros? Você é growth! Ou melhor, tem uma mentalidade de crescimento (mindset growth).

E inspiração é a vocação do podcast Inspire, da Zoho do Brasil, que foi ouvir a experiência de Marcel Souza, Chief Marketing Officer da UAUBox, uma beautytech que opera no modelo de assinatura mensal de caixas de produtos de beleza. Ele é exemplo dessa mentalidade. Senão, vejamos, como é possível fazer uma empresa sair de apenas 3 colaboradores para 75 em dois anos?

Um homem sem dados é um homem qualquer, com uma opinião qualquer”, anuncia. A frase antiga revela muito dessa forma de ver as coisas, que possibilitou a ele chegar em 2019 na UAUBox, comandar o Marketing da startup com o objetivo de arrumar a casa e fazê-la crescer de dentro para fora.

“Naquela época, ainda não tinha uma cadeira de Marketing e o próprio CEO fazia esse papel”, conta. O trabalho “começou do começo”, até entender o propósito da UAUBox: definindo as personas, conversando muito com a consumidora e entendendo quem dava “match” com a marca. “Foi um trabalho de muitos erros e acertos”, admite.

Alguns pontos ficaram claros para o CMO. “Tínhamos de focar na jornada de autoestima da consumidora, numa entrega perfeita, na assertividade do algoritmo e nos canais de divulgação, sobretudo em mídias digitais.”

Segundo ele, quem lida com growth precisa conhecer marketing de performance e ser muito organizado, para definir uma taxonomia e saber de onde vem cada clique.

Aos poucos também, ele foi incorporando pessoas ao time. “A primeira que eu contratei foi para suprir a área de design, que é a minha maior deficiência”, comenta.

Seu foco era crescer rápido. Admitindo a máxima do “antes feito que perfeito”, cerca de três peças eram publicadas por dia no Facebook. Fizeram muito teste AB e analisaram os resultados de performance de cada modelo. “No growth, a gente parte da premissa de que não sabemos de nada até testar, e de que gostos pessoais não valem”, explica.

A aceitação das marcas incluídas nos boxes, o tipo de comunicação, sua conexão com os valores da companhia foram se tornando cada vez mais relevantes para o negócio, cuja resposta das consumidoras era imediata.

Ter feedback em tudo foi outro ponto importante da mentalidade growth que não foi deixada de lado. “Fomos neutros por alguns anos. Hoje a gente toma alguns posicionamentos, defendendo a autoestima e o lugar de fala da mulher, e isso vai trazendo cobranças ainda maiores. Mas estamos muito preparados para isso. Temos hoje um comitê de Comunicação”, diz.

Nesse espírito, Marcel começou a implementar uma cultura de olhar os dados com lupa, de modo relativo, dando a força correta aos números. “Se 10% dos comentários são de reclamação, não é todo mundo que não gostou. É preciso entender isso”, pondera.

Já em 2019, a companhia cresceu quatro vezes e chegou aos 75 colaboradores. “E olha que nosso budget era muito pequeno. Mas conseguimos permuta com muitos influencers para disseminar a marca. Chegamos a ter quase 150 por mês”, revela. Em 2020, em plena pandemia, o modelo de assinatura, que leva a caixa de produtos na porta das clientes, afinou ainda mais com o argumento de se cuidar, mesmo dentro de casa. Como resultado: a UAUbox cresceu mais cinco vezes de tamanho.

Do ponto-de-vista pessoal, Marcel se vê como um vencedor. “Uma coisa legal da época que estamos vivendo é também contar os fracassos. Uns 15 anos atrás, não era permitido errar. Hoje, é muito legal compartilhar as experiências. Sei que vai dar muito erro, mas sou extremamente otimista. Acredite e mantenha-se otimista, porque vai ter pedrada pra caramba. Mas esteja coeso com seu time e firme no propósito que tudo dá certo”, entusiasma-se.

Publicações relacionadas